Dossiê do preenchimento labial: cirurgião plástico esclarece todos os detalhes do procedimento 

Qual a dosagem ideal? Quanto tempo dura? É irreversível? É botox? Não faltam dúvidas sobre a técnica capaz de deixar os lábios maiores. Marie Claire foi atrás de todas as respostas que envolvem o procedimento feito pela cantora Anitta.

 

Depois da polêmica em torno do preenchimento labial feito pela cantora Anitta, diversas dúvidas começaram a surgir sobre a técnica que se popularizou e já conquistou uma série de outras celebridades, como Kylie Jenner, Cristina Aguilera e Lindsay Lohan. O que chama atenção na maioria dos casos é o resultado exagerado, que gera desconfianças sobre o efeito provocado pelo procedimento.

Segundo o cirurgião plástico Sérgio Feijó, que têm mais de 36 anos de experiência e é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a técnica tem tudo para render bons resultados. Mas para isso, profissionais e pacientes precisam tomar certos cuidados. Em entrevista a Marie Claire, ele entrega as principais respostas sobre o assunto.

Qual é a substância adequada para o preenchimento?
“O melhor produto é o ácido hialurônico. Ele é matéria-prima do nosso colágeno e, portanto, reconhecido pelo organismo, mesmo quando sintético. Porém, de um tempo para cá, o preenchimento com gordura autógena – do próprio corpo -, vem sendo adotado por alguns profissionais. É uma técnica de nanotecnologia, que, antes da aplicação, trata a gordura ‘microscopicamente’. Ela pode ser retirada do culote ou da face interna do joelho, onde é mais consistente e segura. Entretanto, é preciso lembrar que ela é enxertada, ou seja, ‘viva’. Se a paciente faz o preenchimento pesando 50kg, o lábio fica lindo. Agora, se ela volta ao consultório depois de alguns anos pesando 90kg, o lábio estará maior.”

 

Existe alguma outra substância que é usada, mas provoca riscos?
“Infelizmente, ainda existe o preenchimento com PMMA ou metacril, que são acrílicos derivados de petróleo. Hidrogel é o melhor de todos, mas mesmo assim acarreta complicação. Por se tratar de uma substância absolutamente sintética, que não é produzida de maneira nenhuma pelo corpo, pode provocar reações imediatas ou tardias, até dez anos depois do procedimento. Esse foi o caso da Andressa Urach. Não se sabe se a Anitta realizou este tipo de preenchimento, mas inchaços tardios ou excessivos não são provocados pelo ácido hialurônico, nem pela gordura.”

Qual é a quantidade de substância usada?
“Em média, o preenchimento leva 1ml de ácido hialurônico. Quando a mulher acha o volume sempre insuficiente e quer mais, ela está simplesmente perdendo a noção de quem era antes do procedimento e o médico precisa intervir.”

É necessário usar anestesia?
“Sim. A anestesia tópica é insuficiente, pois ela só tira a dor da picada e não a da distensão dos tecidos que acontece quando o produto é injetado. Então, uso a local, a mesma dos dentistas. Ela chega a bloquear até os dentes e parte da língua.”

Como é feito o preenchimento?
“O ácido hialurônico é injetado com uma agulha que já vem junto do produto, enquanto a gordura é colocada com uma microcânula. Nos próximos dez minutos é preciso modelar o local com uma leve massagem. Por isso é importante que a paciente esteja bem anestesiada. Depois desse tempo, a substância se estabiliza. Isso ajuda a eliminar qualquer bolinha ou assimetria que tenha ficado. A gordura, por conta da cânula, pode ainda ser dosada na hora e retirada com uma leve pressão.”

 

Em qual região do lábio a substância é injetada?
“A maioria absoluta das pacientes faz o preenchimento no lábio superior por ser sempre o mais fino. Neste caso, o produto é colocado pela linha do vermelhão, onde as mulheres costumam passar o lápis de contorno labial. Se a ideia é subir um pouquinho o volume, basta preencher o contorno. Agora, quando se quer mais volume de preenchimento, a substância é colocada pelo lado interno da boca. Um detalhe muito importante é preencher o filtro, aquelas duas elevações que saem do nariz e são conhecidas como arco do cupido. Quanto mais elevada for, mais simpática é a boca.”

O corpo absorve o ácido hialurônico com o passar do tempo?
“Ele costuma desaparecer dentro de um ano e meio. Porém, o efeito estimulador de colágeno que ele provoca faz o resultado durar até três anos. O produto vai embora, mas deixa o estímulo preenchedor.”

Pode dar alergia?
“Não, porque é uma substância que o próprio corpo produz. Então, se acontecer, provavelmente essa reação estará ligada a algum produto usado na região ou indicará um princípio de infecção. É importante saber que o pós-operatório só provoca um inchaço. Ele não deixa a região vermelha.”

Depois de quanto tempo o procedimento pode ser refeito?
“Se a paciente tem dúvida sobre o resultado, dou sempre um intervalo de um mês para colocar um pouquinho mais. Se você reaplica ainda durante a fase inflamatória, pode ter uma reação muito alta. Para refazer o procedimento por completo, sugiro um período acima de dois anos.”

Quando é possível notar o resultado final?
“Quando o preenchimento é feito com ácido hialurônico, que incha menos, a paciente já pode ver o resultado dentro de cinco ou seis dias. Com a gordura do corpo, o resultado aparece mesmo em dez dias, porque a reação inflamatória neste caso é um pouquinho maior.”

Existe algum risco de o lábio ficar assimétrico?
“Se o profissional não tiver uma mão bem preparada e não controlar muito bem a quantidade aplicada de um lado e de outro, pode acontecer. Mas seria um erro muito primário. Normalmente são realizadas duas ou três picadas de cada lado do lábio.”

Qual a recomendação pós-procedimento?
“Não bater e evitar qualquer tipo de pancada. É preciso redobrar a atenção com o copo e garfo. Como nosso corpo não reage igual, o lábio pode inchar um pouquinho mais de um lado do que de outro. Então, às vezes, ela quer repetir em casa a massagem feita no consultório. Isso não deve ser feito de maneira nenhuma. Nas 48 horas pós-procedimento é preciso evitar qualquer tipo de impacto e apenas esperar, que passa naturalmente. É preciso ainda fazer assepsia interna e externa para evitar infecções. Em alguns casos, pode ocorrer o que chamamos de acidente de punção, que é quando um vasinho é atingido e o local fica roxo. Basta ter paciência e esperar, isso não compromete em nada o resultado e melhora sozinho.”

Existe alguma contraindicação?
“Pacientes com herpes recorrentes devem tomar mais cuidado. É necessário fazer um tratamento preventivo durante um mês. Um dos desencadeamentos do herpes é o trauma local. Ou seja, o corpo pode interpretar a agulhada e a injeção do produto como tal.”

Não gostei do resultado, é possível reverter?
“Sim. Se a paciente achou exagerado o procedimento feito com gordura ou ácido hialurônico, o especialista irá aplicar uma substância chamada hialuronidase misturada com um pouquinho de corticoide. Esta mistura faz a substância do preenchimento se degradar mais rápido e baixar o volume. Mas são casos excepcionais. Agora, pacientes que recorreram ao metacril precisam fazer cirurgia para abrir o lábio e retirar o acrílico, que vira uma série de pedrinhas.”

Preenchimento é o mesmo que botox?
“Definitivamente, não. O preenchimento é o uso de um material que vai dar volume, enquanto o botox utiliza uma toxina para paralisar a musculatura.”

 

Fonte: Dossiê do preenchimento labial: cirurgião plástico esclarece todos os detalhes do procedimento – Marie Claire | Beleza

Related posts

Leave a Comment